“Alagados” dos Paralamas do Sucesso: A Canção dos Excluídos

Paralamas_03

Após a diversão festeira de seus dois primeiros álbuns, os Paralamas do Sucesso partiram para uma temática mais politizada em “Selvagem?”, seu terceiro disco, lançado em 1986. Este álbum incorpora elementos de MPB, ritmos nordestinos e a adição de metais ao rock + reggae + ska original da banda.

A faixa de abertura, Alagados, pode enganar os mais incautos por seu ritmo contagiante, mas se prestarmos bem atenção em sua letra veremos que se trata de uma contundente crítica às desigualdades sociais no Brasil e no mundo. E tal situação não mudou muito desde então e até os nossos dias.

Paralamas_02

Capa do álbum “Selvagem?”

A canção descreve a difícil realidade dos moradores das favelas brasileiras em um contexto de crise econômica pela qual o país passava durante da década de 1980. Será que isto mudou de lá para cá?

Todo dia o sol da manhã vem e lhes desafia
Traz do sonho pro mundo, quem já não o queria
Palafitas, trapiches, farrapos
Filhos da mesma agonia

O duro despertar e enfrentar a realidade cruel da favela.

E a cidade que tem braços abertos num cartão postal
Com os punhos fechados na vida real
Lhe nega oportunidades
Mostra a face dura do mal

Alusão à cidade do Rio de Janeiro e sua dubiedade de ser uma cidade paradisíaca para os privilegiados e um inferno para os mais desprovidos. A estátua do Cristo Redentor está de braços abertos, mas a cidade cerra seus punhos contra os excluídos e lhes nega oportunidades de melhoria.

Alagados, Trenchtown, Favela da Maré
A esperança não vem do mar
Nem das antenas de TV
A arte é de viver da fé
Só não se sabe fé em quê
A arte é de viver da fé
Só não se sabe fé em quê

O refrão primeiro faz um paralelo entre cidades de mesma característica de ser um paraíso turístico em contraste com a dura vida nas favelas: Alagados (Salvador – Brasil); Trenchtown (Kingston – Jamaica) e Favela da Maré (Rio de Janeiro – Brasil).

Em seguida os versos que causam dúvida quando escutamos: A esperança não vem do mar / NEM das antenas de TV. Aqui muitos (inclusive eu durante algum tempo) escutam “Vem das antenas de TV”. Não adianta esperar um milagre ‘vindo do mar’, uma nova expedição de Cabral? Nem adianta esperar algo das emissões televisivas fora da realidade e escapistas. O recado é não adianta esperar que nada caia do céu, temos que ir à luta e conquistar a almejada justiça social.

Por fim a questão: de onde vem a fé que alimenta a arte de sobreviver em condições tão adversas?

 

Paralamas_05

VÍDEOS


Vide clipe:


Áudio com mais qualidade:


 

Um comentário sobre ““Alagados” dos Paralamas do Sucesso: A Canção dos Excluídos

  1. Alagados parece um profecia eterna no BRASIL!…sai governo entra governo a música está sempre atual. Na minha interpretação é “Alagados” e “O Tempo Não pára” (Cazuza), parecem déjà vu.

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s