Beto Guedes e o seu “Amor de Índio”

.  SOL DE PRIMAVERA “Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos…” Assim começa Sol de Primavera, a primeira música do sétimo disco (contando com as participações) do mineiro de Montes Claros, Beto Guedes. Iniciei assim porque estamos em setembro, mas nosso assunto é o seu sexto e melhor disco: “Amor de Índio”,…

Disco Nota 11: “Gal Costa” (1969) – Gal Costa

. PSICODELIA TROPICALISTA Com a prisão, em 1968, e o subsequente exílio forçado de Caetano Veloso e Gilberto Gil, coube à cantora baiana Maria da Graça Costa Penna Burgos a tarefa de carregar a bandeira do Tropicalismo naquele final de década. O primeiro álbum solo de Gal Costa foi gravado ainda em 1968, antes dele…

Balas, Balaços e Baladas do Baleiro

Paulo Fernandes   Há algum tempo fui indiretamente provocado e o questionamento não formulado poderia ser: – Por que você gosta de músicos que fazem sempre a mesma coisa? Não sei dizer exatamente o porquê, mas eu gosto. Essa “mesma coisa” pode significar utilizar os elementos musicais já utilizados em trabalhos anteriores e ainda assim…

Disco Nota 11: “Krig-ha, bandolo!” – Raul Seixas

José Maurício     . O quarto LP de Raul Seixas, “Krig-Ha, Bandolo!” – nome tirado do grito de Tarzan, das histórias em quadrinhos – foi lançado em junho de 1973. Antes dele – que é de fato o primeiro álbum “prá valer” de Raul – tivemos “Raulzito e os Panteras” (1968), “Sociedade da Grã-Ordem…

“Hair” e a Contracultura

Paulo Fernandes . A TIGRESA DE CAETANO A primeira vez que ouvi falar do musical “Hair” foi na música Tigresa de Caetano Veloso: “…ela me conta que era atriz e trabalhou no “Hair”…”. Ícone da contracultura dos anos 60 e da filosofia pacifista hippie, “Hair”, a peça teatral, estreou em Nova Iorque em 1967. A…

O Mundo Fascinante dos Discos

Paulo Fernandes . AMOR TÁCTIL Caetano Veloso disse em sua música Livros: “Os livros são objetos transcendentes / Mas podemos amá-los do amor táctil / Que votamos aos maços de cigarro”. Posso substituir livros por discos, pois estes também possuem transcendência e amo-os – além, é claro do amor auditivo, do amor táctil, visual e…

O Manifesto Tropicalista

Paulo Fernandes  .  O MANIFESTO DO PARTIDO TROPICALISTA Era o ano de 1967. Um fantasma ronda a MPB – o fantasma do Rock! Todos os baluartes da “verdadeira” música brasileira unem-se numa Santa Aliança para conjurá-lo: o cardeal e o presidente, Elis Regina e Jair Rodrigues, os estudantes da USP e da PUC e os…

Disco Nota 11: “Mutantes” – Mutantes

Paulo Fernandes Publicado originalmente em 04/10/2010  . O NASCIMENTO DO ROCK NO BRASIL O rock feito no Brasil começou no final dos anos 1950 e era basicamente composto de versões de sucessos norte-americanos. Em 1959 Celly Campello estourou em todo país com a música Estúpido Cupido. Ela e seu irmão Tony se tornaram atração em…

The Doors: Abrindo as Portas da Percepção

Paulo Fernandes CAÊ, MEU REI Meu gosto roqueiro de adolescente foi construído basicamente pela música dos Beatles e dos Rolling Stones e pelo rock inglês do início dos anos 70, com honrosa exceção para o Creedence. Nessa época eu ouvia falar (muito timidamente) de Doors e Velvet Underground (eu achava esse nome muito bacana), mas…