Odair José: Rock e Política

DE BREGA A CULT Com suas letras diretas e melodias simples e eficientes, o goiano Odair José foi um campeão de vendas de discos na década de 70. Desprezado pela crítica, mas idolatrado pelo povo que se identificava com suas canções que falavam sobre amor, sexo e temas sociais, bastante ousadia para aquela época. Odair emplacou…

Beto Guedes e o seu “Amor de Índio”

.  SOL DE PRIMAVERA “Quando entrar setembro e a boa nova andar nos campos…” Assim começa Sol de Primavera, a primeira música do sétimo disco (contando com as participações) do mineiro de Montes Claros, Beto Guedes. Iniciei assim porque estamos em setembro, mas nosso assunto é o seu sexto e melhor disco: “Amor de Índio”,…

Disco Nota 11: “Gal Costa” (1969) – Gal Costa

. PSICODELIA TROPICALISTA Com a prisão, em 1968, e o subsequente exílio forçado de Caetano Veloso e Gilberto Gil, coube à cantora baiana Maria da Graça Costa Penna Burgos a tarefa de carregar a bandeira do Tropicalismo naquele final de década. O primeiro álbum solo de Gal Costa foi gravado ainda em 1968, antes dele…

Balas, Balaços e Baladas do Baleiro

Paulo Fernandes   Há algum tempo fui indiretamente provocado e o questionamento não formulado poderia ser: – Por que você gosta de músicos que fazem sempre a mesma coisa? Não sei dizer exatamente o porquê, mas eu gosto. Essa “mesma coisa” pode significar utilizar os elementos musicais já utilizados em trabalhos anteriores e ainda assim…

Disco Nota 11: “Krig-ha, bandolo!” – Raul Seixas

José Maurício     . O quarto LP de Raul Seixas, “Krig-Ha, Bandolo!” – nome tirado do grito de Tarzan, das histórias em quadrinhos – foi lançado em junho de 1973. Antes dele – que é de fato o primeiro álbum “prá valer” de Raul – tivemos “Raulzito e os Panteras” (1968), “Sociedade da Grã-Ordem…

“Hair” e a Contracultura

Paulo Fernandes . A TIGRESA DE CAETANO A primeira vez que ouvi falar do musical “Hair” foi na música Tigresa de Caetano Veloso: “…ela me conta que era atriz e trabalhou no “Hair”…”. Ícone da contracultura dos anos 60 e da filosofia pacifista hippie, “Hair”, a peça teatral, estreou em Nova Iorque em 1967. A…

O Mundo Fascinante dos Discos

Paulo Fernandes . AMOR TÁCTIL Caetano Veloso disse em sua música Livros: “Os livros são objetos transcendentes / Mas podemos amá-los do amor táctil / Que votamos aos maços de cigarro”. Posso substituir livros por discos, pois estes também possuem transcendência e amo-os – além, é claro do amor auditivo, do amor táctil, visual e…

O Manifesto Tropicalista

Paulo Fernandes  .  O MANIFESTO DO PARTIDO TROPICALISTA Era o ano de 1967. Um fantasma ronda a MPB – o fantasma do Rock! Todos os baluartes da “verdadeira” música brasileira unem-se numa Santa Aliança para conjurá-lo: o cardeal e o presidente, Elis Regina e Jair Rodrigues, os estudantes da USP e da PUC e os…

Disco Nota 11: “Mutantes” – Mutantes

Paulo Fernandes Publicado originalmente em 04/10/2010  . O NASCIMENTO DO ROCK NO BRASIL O rock feito no Brasil começou no final dos anos 1950 e era basicamente composto de versões de sucessos norte-americanos. Em 1959 Celly Campello estourou em todo país com a música Estúpido Cupido. Ela e seu irmão Tony se tornaram atração em…

The Doors: Abrindo as Portas da Percepção

Paulo Fernandes CAÊ, MEU REI Meu gosto roqueiro de adolescente foi construído basicamente pela música dos Beatles e dos Rolling Stones e pelo rock inglês do início dos anos 70, com honrosa exceção para o Creedence. Nessa época eu ouvia falar (muito timidamente) de Doors e Velvet Underground (eu achava esse nome muito bacana), mas…