The Libertines: Pós-Punk com Marquês de Sade

Paulo Fernandes . RELAÇÕES DE AMOR E ÓDIO Centrada em Carl Barât e Pete Doherty, a banda inglesa The Libertines, que iniciou sua trajetória em 1997, ganhou notoriedade no início da década de 2000, tanto por sua música quanto pelos “barracos” internos. Seguindo a linha independente (ou se preferirem: indie rock) que foi buscar inspiração…

Love é quase tudo que você precisa

Paulo Fernandes . A OUTRA BANDA DE LOS ANGELES O Love, enquanto esteve ativo, nunca conseguiu um sucesso expressivo de público. Primeiro teve de disputar as atenções com os Byrds e depois, perder a preferência de sua gravadora para os Doors, ambas (assim como o próprio Love) de Los Angeles. Mas o grupo acabou garantindo…

Disco Nota 11: “Ocean Rain” – Echo &The Bunnymen

Paulo Fernandes   .  PÓS-PUNK O Punk promoveu uma volta ao rock básico, contrapondo-se aos exageros megalomaníacos que tomaram conta do rock em meados da década de 1970. Destruir para construir. A tempestade se acalmou e deixou um terreno fértil onde diversos novos gêneros floresceram naquele final dos 70 e início dos 80: New Wave,…

Disco Nota 11: “Green” – R.E.M.

Paulo Fernandes     DE ATHENS PARA O MUNDO No início da década de 1980 a cidade de Athens, no estado da Géorgia, EUA, tinha cerca de 40 mil habitantes. O que essa pequena cidade universitária tem de tão especial a ponto de se tornar conhecida com capital do rock universitário (em inglês: college rock)?…

The Doors: Abrindo as Portas da Percepção

Paulo Fernandes CAÊ, MEU REI Meu gosto roqueiro de adolescente foi construído basicamente pela música dos Beatles e dos Rolling Stones e pelo rock inglês do início dos anos 70, com honrosa exceção para o Creedence. Nessa época eu ouvia falar (muito timidamente) de Doors e Velvet Underground (eu achava esse nome muito bacana), mas…