Yardbirds: As Várias Formas do Bom Rock

Paulo Fernandes

 

Yardbirds_10

.

MEA CULPA

Talvez um dos grupos mais citados aqui no Rockontro seja os Yardbirds, entretanto não havia nenhum artigo específico sobre esta que é uma das mais importantes bandas do rock de todos os tempos.

Passando em revista as gravações dos Yardbirds pude confirmar que injustamente eles não tiveram o reconhecimento merecido pelo talento e qualidade que mostraram na concorrida década de 1960. A conclusão que cheguei: a banda é muito melhor do que supunha minha filosofia, e eu também estava enganado em não lhe dar a devida atenção, talvez ofuscado pelo som do Cream, do primeiro Jeff Beck Group e do Led Zeppelin.

Os Yardbirds em seu início

Os Yardbirds em seu início

Por que citei essas três outras bandas? A história é bastante conhecida: três dos maiores guitarristas do rock, praticamente, começaram suas carreiras nos Yardbirds: Eric Clapton, Jeff Beck e Jimmy Page (posteriormente ligados respectivamente ao Cream, ao Jeff Beck Group e ao Led Zeppelin).

.

DO BLUES AO PSICODELISMO

O grupo atuou entre 1963 e 1968, primeiramente fazendo covers de blues de Chicago.

Inicialmente eram Keith Relf (vocais e gaita), Chris Dreja (guitarra base), Paul Samwell-Smith (baixo) e Jim McCarty (bateria).  Eric Clapton entrou no final de 1963.

Yardbirds_02

Com Eric “Slowhand” Clapton

Apesar do blues, foi um rock com tintas pop que deu o primeiro destaque aos Yardbirds: For Your Love de 1965. Esse redirecionamento musical não agradou a Eric Clapton e ele deixou o grupo naquele mesmo ano, indicando o jovem Jimmy Page para substituí-lo. Page por sua vez não aceitou (não naquele momento!) e passou a bola para seu amigo Jeff Beck.

Sai Clapton, entra Beck

Sai Clapton, entra Beck

A sede experimental de Jeff Beck rendeu, na minha opinião, os melhores momentos dos Yardbirds: mesclando várias influências musicais e dando um direcionamento mais psicodélico ao som da banda. É dessa fase, e continua a merecer maior atenção, o clássico álbum conhecido pelo nome de “Roger The Engineer”, de 1966, repleto de arranjos sofisticados bem ao gosto de Beck.

.

BECK E PAGE JUNTOS

Em 1966, o baixista Paul Samwell-Smith resolveu sair da banda para se dedicar à produção de gravações. Chamado novamente, Jimmy Page aceitou tomar conta do baixo até que Chris Dreja se adaptasse a esse instrumento. Isso não impediu que uma das melhores músicas dos Yardbirds, Happenings Ten Years Ago, fosse gravada com Beck e Page nas guitarras (e John Paul Jones no baixo).

Yardbirds_04

O resultado com duas guitarras solo foi tão bom que Jimmy Page acabou ficando na banda. Infelizmente são muito poucas as gravações desse período de duelos memoráveis de guitarra.

Entra Page

Entra Page

Foi com esta última formação que os Yardbirds apareceram no filme de Michelangelo Antonioni, “Blow Up” de 1966, tocando ao vivo a música Stroll On.

.

SAÍDA DE BECK

O perfeccionismo e o temperamento explosivo de Jeff Beck acabaram por causar desentendimentos internos e a sua saída do grupo.

Yardbirds_06

A banda continuou até 1968, com Jimmy Page no comando, porém o antigo sucesso comercial não se repetiu nesse período. Keith Relf e Jim McCarty saíram no início de 1968 e os Yardbirds ficaram reduzidos a praticamente um único membro: Jimmy Page, já que Chris Dreja estava mais envolvido com a fotografia do que com a música.

Sai Beck

Sai Beck

A história da reformulação da banda por Jimmy Page, como New Yardbirds, abre um novo capítulo na História conhecido como Led Zeppelin.

.

MÚSICAS

Clique na imagem para ouvir:

Yardbirds_11

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s