Disco Nota 11: “Electric Guitarist” – John McLaughlin

electric_guitarist_00

.
O guitarrista inglês John McLaughlin é um dos nomes mais lembrados quando se fala em jazz fusion – a mistura entre jazz e outros gêneros musicais, entre eles o rock – tendo sido um dos pioneiros do movimento nascido final da década de 60. Nesta época, já morando nos Estados Unidos, McLaughlin participou do excelente time de músicos que ajudou Miles Davis a gravar dois marcos do fusion: os álbuns “In a Silent Way”, de 1969, e “Bitches Brew”, de 1970.

electric_guitarist_01

McLaughlin, nos tempos da Mahavishnu, e sua Gibson de 2 braços.

Durante a década de 70, McLaughlin esteve envolvido em diferentes projetos, primeiramente à frente da Mahavishnu Orchestra, grupo que misturava jazz, rock progressivo e música indiana. Depois participou do Shakti, projeto acústico de música indiana que incorporava elementos de jazz. Aliás o guitarrista há muito já era envolvido com filosofia e religião indianas. Em 1973 em parceria com Carlos Santana, gravou um álbum de canções devocionais.

. 

TRIBUTO ELÉTRICO AO FUSION

Em 1978, ele lançou um álbum solo – “Electric Guitarist” – que pode ser visto como um tributo aos anos de ouro do jazz fusion, que haviam ficado no passado. Cercado por músicos da mais alta estirpe, McLaughlin passeia com sua guitarra plugada – após um período de guitarra acústica – por diversas “fusões” jazzísticas: blues, rock, balada, bop, funk, etc.. Até a influência brasileira aparece na faixa convenientemente chamada  Friendship,  onde o ronco da cuíca do percussionista brasileiro Alyrio Lima se faz presente.

electric_guitarist_06

John McLaughlin e Chick Corea

Uma de minhas faixas prediletas é Are You the One? Are You the One?, um jazz-rock funkeado e cheio de balanço que conta com o baixo do saudoso Jack Bruce.

Uma homenagem emocionante aos ídolos de McLaughlin, em especial a John Coltrane e Miles Davis, e uma passada em revista ao fusion que encantou profundamente um sujeito até então não muito interessado pelo jazz e suas vertentes: eu mesmo!

electric_guitarist_05

Carlos Santana e John McLaughlin

Vale a pena listar aqui os nomes das feras que contribuíram para este álbum cativante, e as faixas nas quais eles tocaram:

Alphonso Johnson: baixo (A3);
Alyrio Lima: percussão (A2).
Armando Peraza: congas (A2);
Billy Cobham: bateria (A1 e B3);
Carlos Santana: guitarra (A2);
Chick Corea: piano, sintetizador Mini-Moog (B1);
David Sanborn: alto saxofone alto (A3);
Fernando Saunders: baixo (A1),
Jack Bruce: baixo (B2);
Jack DeJohnette: bateria (B1),
Jerry Goodman: violino (A1);
Narada Michael Walden: bateria (A2);
Neil Jason: baixo (A2),
Patrice Rushen: piano (A3);
Stanley Clarke: contrabaixo acústico (B1);
Stu Goldberd: piano eletrico, orgão; sintetizador Mini-Moog (A1);
Tom Coster: orgão (A2);
Tony Williams: bateria (A2).

.

FAIXAS 

Todas as músicas compostas por John McLaughlin, exceto a indicada. 

Lado A

1) New York on My Mind
2) Friendship
3) Every Tear from Every Eye

Lado B

1) Do You Hear the Voices That You Left Behind?
2) Are You the One? Are You the One?
3) Phenomenon: Compulsion
4) My Foolish Heart (Victor Young, Ned Washington)

.

MÚSICAS

Ouça o álbum completo:

Anúncios

Um comentário sobre “Disco Nota 11: “Electric Guitarist” – John McLaughlin

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s