Disco Nota 11: “In The Court of The Crimson King” – King Crimson

Paulo Fernandes

in_the_courtLG4

.

A MORTE E A VIDA DO REI CARMIM

Outro dia estava folheando um livro chamado “Rock Espetacular” para escrever sobre o rock progressivo. Achei engraçado quando, além de todos os elogios tecidos ao grupo, chama de curta a carreira do King Crimson. O detalhe é que o livro é de 1977 e a banda havia se desfeito em 1974, após apenas seis anos de trabalho.

in_the_courtL03

Mas, para nossa sorte, Robert Fripp, por influências mútuas com Talking Heads, Brian Eno e Laurie Anderson, reformulou o King Crimson em 1981 e continua até hoje a nos brindar sua música originalíssima, sempre mutante e em progresso (progressiva também!).

.

O REI SEM COROA

Robert Fripp diz que não se considera o líder do King Crimson, quem não o conhece e o vir em alguma apresentação do grupo poderá pensar isto. Ele fica discretamente num canto do palco, cercado de equipamentos que dão à sua guitarra um som peculiar e, pasmem, sentado durante quase todo o tempo!

in_the_courtL07

A verdade é que se não fosse por Robert Fripp o King Crimson não existiria. Um homem que muitos consideram antipático, mas que é um guitarrista único, graças à sua técnica sempre inovadora e à parafernália de equipamentos que ele conecta à sua Gibson Les Paul. A junção da técnica de tocar combinada com os equipamentos utilizados foi batizada de Frippertronics.

Além disso, Fripp está sempre buscando novas sonoridades e direcionamentos musicais, talvez por isso a grande rotatividade de músicos na banda e a grande variedade de influências musicais, que fazem o King Crimson soar como várias bandas distintas ao longo do tempo.

.
NA CORTE DO REI CARMIM

O King Crimson nasceu em Londres, no ano de 1968. Em 1969 lançou seu primeiro álbum: “In The Court Of The Crimson King”.

O brilhante e movimentado reinado do King Crimson se iniciou de forma espetacular, com um estilo que poderia ser chamado de “progressivo sinfônico”, cujo melhor exemplo é a épica faixa-título, In the Court of Crimson King, que encerra o disco. Mas, o grupo já agregava também elementos de jazz (inclusive dando espaço a improvisações instrumentais, como em Moonchild), de folk e até com uma pegada hard rock, como na espetacular faixa de abertura; 21st Century Schizoid Man.

in_the_courtL09

Schizoid Man

Para quem ainda não se convenceu a escutar esse disco, vou dar mais um argumento: o vocalista dessa primeira encarnação do King Crimson é simplesmente uma das vozes mais bonitas da história do rock: Greg Lake, que após curta passagem no Crimson, ajudaria a fundar outro grande marco do progressivo: o Emerson, Lake and Palmer. Uma demonstração da excelência vocal de Lake está na linda balada Epitaph, que fala sobre o destino.

in_the_courtL08

Crimson King

Além de Robert Fripp (guitarra) e Greg Lake (vocais e baixo) a corte do Rei Carmim era completada por:

Ian Mcdonald: flauta, saxofone, vibrafone, clarineta, teclados e mellotron;
Michael Giles: baterria e percussão;
Peter Sinfield: letras.

A intrigante capa é a única pintura de Barry Goldber, que era programador de computadores e morreu pouco depois, em 1970.  Segundo Fripp a figura externa é do Schizoid Man e a interna do Crimson King (o Sol?).

.

FAIXAS

 

Lado A 

1) 21st Century Schizoid Man (Fripp/McDonald/Lake/Giles/Sinfield) incluindo Mirrors
2) I Talk to the Wind (McDonald/Sinfield)
3) Epitaph (Fripp/McDonald/Lake/Giles/Sinfield) incluindo March for no Reason e Tomorrow and Tomorrow

Lado B

1) Moonchild (Fripp/McDonald/Lake/Giles/Sinfield) incluindo The Dream e The Illusion
2) The Court of the Crimson King (McDonald/Sinfield) incluindo The Return of the Fire Witch e The Dance of the Puppets

.

MÚSICAS

 

Ouça o álbum completo (5 vídeos):

.

.

.

.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s