Disco Nota 11: “Vivendo e não Aprendendo” – Ira!

Paulo Fernandes

 VenA_01

 

DO PUNK AO MOD

O ano de 1986 foi para mim um ano de grandes descobertas, uma delas foi o Ira!, graças ao seu segundo álbum “Vivendo e Não Aprendendo”, lançado naquele mesmo ano e que tinha, entre outras excelentes músicas, o hino Envelheço na Cidade. Durante o restante daquela década, o Ira! foi a minha banda de rock nacional que predileta.

O Ira! nasceu em 1981 do encontro do guitarrista Edgard Scandurra com o vocalista Marcos Valadão, o “Nasi”. Era uma época em que a cena punk paulistana estava bem animada, e foi essa a linha seguida nos primórdios do grupo. Acontece que Edgard era fã de Led Zeppelin, Jimi Hendrix, Who e Jam, e um virtuose da guitarra.

VenA_05

Esse amálgama de paixões e influências iria refletir no som da banda e no seu primeiro álbum em 1985. O título “Mudança de Comportamento” diz muito sobre seu conteúdo: uma releitura do mod de bandas inglesas dos anos 60 como The Who e Kinks, e da mais recente The Jam. Isso temperado com ótimos riffs de guitarra de Scandurra e os vocais raivosos de Nasi.

Esse disco vendeu pouco, apesar de grandes canções como: N.B. Núcleo Base, Longe de Tudo, Mudança de Comportamento e Coração.

A banda nessa época, após alguma rotatividade no baixo e na bateria, encontrou sua formação definitiva com, além de Edgard e Nasi, Ricardo “Gaspa” Gasparini (baixo) e André Jung (bateria).

. 

VIVENDO E NÃO APRENDENDO

Para seu segundo álbum o Ira! queria aprofundar e evoluir a estética mod e pós-punk. Parece que não foi fácil, e surgiram desavenças entre o grupo e a produção da gravadora. Fatos que contribuíram para “marcar” os integrantes do Ira! como difíceis e radicais. 

Apesar dessas querelas, o resultado é, sem sombra de dúvida, um dos melhores discos do rock nacional de todos os tempos. 

VenA_04

Começando com a ótima Envelheço na Cidade, com seus riffs de guitarra espetaculares, o disco mostra a energia da banda em seu tributo aos seus ídolos. E há lugar para experimentações como Vitrine Viva, que mistura rock pesado com funk, e Flores em Você, com seu arranjo de cordas claramente inspirado em Eleanor Rigby dos Beatles. Flores em Você, incluída como abertura de novela da Globo no ano seguinte, se transformou num dos maiores sucessos do Ira! e turbinou as vendas do álbum. 

Encerrando o disco, vibrantes versões ao vivo de duas músicas do passado punk da banda: Gritos na Multidão e Pobre Paulista.

FAIXAS

Todas as faixas compostas por Edgard Scandurra, exceto as anotadas.

Lado A

1) Envelheço na Cidade
2) Casa de Papel
3) Dias de Luta
4) Tanto Quanto Eu (Gasparini, Scandurra)
5) Vitrine Viva (Luis Arnaldo Braga, Scandurra)

Lado B

1) Flores em Você
2) Quinze Anos (Gasparini, Scandurra)
3) Nas Ruas
4) Gritos na Multidão
5) Pobre Paulista

.  

MÚSICAS 

 

Ouça o álbum completo:

Anúncios

Um comentário sobre “Disco Nota 11: “Vivendo e não Aprendendo” – Ira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s