Disco Nota 11: “A Revolta dos Dândis” – Engenheiros do Hawaii

Paulo Fernandes

A_Revolta_dos_Dândis_01

.

EU ME SINTO UM ESTRANGEIRO

Primeiramente leitor, façamos um trato: você desliga o computador se eu ficar muito abstrato.

Provavelmente minha irmã não sabia que colocara em minhas mãos uma das coisas que marcariam minha vida para sempre ao trazer para mim o livro “O Estrangeiro” de Albert Camus. Isso no final da década de 1970.

Albert Camus

Albert Camus

Influenciado pela filosofia existencialista de Jean-Paul Sartre, apesar de Camus rejeitar tal rótulo para seu romance, o livro mostra o personagem Meursault. A princípio um ser indiferente ao mundo e às coisas a sua volta – mesmo se estas tais coisas alterem o rumo de sua vida – e que só ao final passa por uma tomada de consciência.

Na filosofia de Sartre o homem primeiro existe e depois se define, ou em suas palavras “A existência precede a essência e a governa”. O homem seria livre para fazer suas escolhas e até a falta de decisão já caracteriza uma escolha.

. 

LONGE DEMAIS DAS CAPITAIS

Alguns anos mais tarde – corria o ano de 1986 – escutei o primeiro álbum dos Engenheiros do Hawaii, com o chamativo título: “Longe Demais das Capitais”. Morando em Goiânia, uma cidade “longe demais das capitais”, me identifiquei com algumas das músicas, mas não posso dizer que fiquei impressionado com esse disco, no qual a banda parecia tentar um caminho a seguir em meio a tantas influências, entre elas o ska e o “reggae de branco” do Police e dos Paralamas do Sucesso.

A_Revolta_dos_Dândis_04

O caminho não demorou a ser escolhido, e não foi uma estradinha qualquer e sim uma auto-estrada: Infinita Highway. Essa música é uma das minhas preferidas de todos os tempos e gêneros e mostra uma sonoridade que seria a marca registrada do grupo, juntamente com as letras sonoras e sarcásticas.

. 

HEY MÃE! EU TENHO UMA GUITARRA ELÉTRICA

O trio gaúcho começou quase por acaso, montado para participar de um festival da Universidade Federal do R. G. do Sul. Humberto Gessinger (voz e guitarra), Carlos Stein (guitarra), Marcelo Pitz (baixo) e Carlos Maltz (bateria) eram estudantes de arquitetura e o ano era 1985.

 A_Revolta_dos_Dândis_05

O nome era uma provocação aos estudantes de engenharia da UFRGS, e é apenas mais um capítulo na eterna rixa entre estudantes de arquitetura e de engenharia. E o que era para ser apenas uma brincadeira acabou caindo no gosto do público de Porto Alegre e as oportunidades surgiram, culminando com a gravação do primeiro álbum já em 1986.

.

DÂNDIS REVOLTADOS

O segundo álbum dos Engenheiros do Hawaii: “A Revolta dos Dândis”, de 1987, mostra uma sonoridade bem diferente daquela mostrada no primeiro disco, com toques de rock progressivo, de rock alternativo e reminiscências sessentistas, além das letras críticas com rimas sonoras que considero deliciosas. Havia também uma forte influência da filosofia existencialista de Jean Paul Sartre e dos livros de Albert Camus.

 A_Revolta_dos_Dândis_06

O nome do álbum, e de duas de suas músicas, foi tirado do livro “O Homem Revoltado” de Camus, onde dá nome a um dos capítulos. Camus aparece também em várias referências a “O Estrangeiro”. Sartre aparece em Infinita Highway com a frase “a dúvida é o preço da pureza”, e tome mais existencialismo em “Mas não precisamos saber pra onde vamos / Nós só precisamos ir” da mesma música.

Podemos também encontrar ecos de um dos ídolos de Humberto Gessinger, o angustiado e atormentado baixista do Pink Floyd, Roger Waters.

É um disco que sempre levo comigo em minhas viagens de carro na estrada infinita entre Goiânia e Vitória.

Enfim um álbum de um grupo que se destacou da maioria de seus contemporâneos e que considero um dos melhores do rock brasileiro e ao qual sempre recorro para pinçar algumas de suas marcantes frases como: “só me acorde quando o sol tiver se posto” para expressar minha fobia de sol nesse inverno/inferno mais seco que o Deserto do Saara.

O trio que gravou esse disco é composto por: Humberto Gessinger (voz e baixo), Augusto Licks (guitarra) e Carlos Maltz (bateria).

 

FAIXAS

Todas as faixas compostas por Humberto Gessinger, exceto a indicada.

Lado A

  1. A Revolta dos Dândis I
  2. Terra de Gigantes
  3. Infinita Highway
  4. Refrão de Bolero
  5. Filmes de Guerra, Canções de Amor

 

Lado B

  1. A Revolta dos Dândis II
  2. Além dos Outdoors
  3. Vozes
  4. Quem Tem Pressa Não Se Interessa (Humberto Gessinger; Carlos Maltz)
  5. Desde Aquele Dia
  6. Guardas da Fronteira

 

. 

MÚSICAS

Ouça o álbum completo:

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s