James Brown, Mr. Dynamite

James Brown era um showman de performances bombásticas no palco, onde era apresentado pelo codinome Mr. Dynamite(1). Ele conseguiu juntar a energia do rock, o lamento do blues, o swing do jazz e criar um soul explosivo, que ajudou a definir a estrutura do funk na década de 1960, cheio de groove, como ele gostava de dizer.

Desde cedo James foi uma pessoa bastante competitiva, que queria ser o melhor em tudo que fazia. Na infância, devido sua condição de pobreza, precisou ralar muito como engraxate, lavador de carros, etc., bem como cantar em concursos de talentos.

Em 1956, Brown resolveu se dedicar integralmente à música e montou a banda The Flames, junto com o amigo Bobby Byrd. Suas principais influências eram Ray Charles e Little Richard.

Alternando altos e baixos, a afirmação definitiva veio no final da década de 1950 e início da de 1960, quando ele deixou os cabelos crescerem, passou a usar roupas coloridas e espalhafatosas e transformou seus shows em eventos apoteóticos. Em 1962, veio a consagração com o álbum ao vivo “Live at the Apollo”, sucesso de vendas. Brown, àquela altura, era chamado de maior cantor de rythm and blues.

Além de ter feeling para a música, James Brown o tinha também para os negócios e tomou as rédeas de sua carreira com mão de ferro.

Durante a década de 1960, Brown se envolveu com o movimento dos direitos civis, que lutava pela igualdade de direitos entre negros e brancos nos EUA. Ganhou fama neste campo em 1968, após o assassinato de Martin Luther King, ao impedir o agravamento dos distúrbios raciais com pronunciamentos em seus shows de Boston e Washington e que foram televisionados em rede nacional.

Com relação à sua música, ele passou a década de 1960 num processo de refinamento da linguagem do funk, ao mesmo tempo em que expandia seu público. Em 1965, duas de suas músicas mais conhecidas: Papa’s Got  a Brand New Bag e I Got You (I Feel Good) entraram nas paradas de R&B e de pop.

James Brown e sua “rotina da capa”.

A trajetória de sucessos de Brown, tanto na música quanto nos negócios, continuou durante a década de 1970, embora na metade dela a onda de música disco tenha tirado do funk o reinado nas pistas de dança.

A longa e ativa carreira de James Brown foi interrompida 2006, com sua morte aos 73 anos.  Deixou como legado sua influência em várias gerações de artistas que trilharam o caminho aberto por ele no R&B e no funk: Sly Stone, Funkadelic, Booker T., The Temptations, Jackson Five, Michael Jackson, Prince, Lenny Kravitz, entre outros.


  1. Durante sua carreira, James Brown colecionou vários apelidos ou títulos honoríficos. Escolhi Mr. Dynamite por ter sido o mais usado durante sua fase que mais gosto, entre 1962 e 1966. Entre outros, foram usados: The Godfather of Soul, Soul Brother No. 1,  The Hardest Working Man in Showbusiness, The King of Funky.

MÚSICAS



Com a “rotina da capa” aos 0’22”















Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s