O Surrealismo Biomecânico das Capas de H. R. Giger

Toda vez que eu ia ao Bazar Paulistinha, em Goiânia, para ver (sempre), ouvir (frequentemente) ou comprar (às vezes) discos, eu sempre ficava maravilhado com a capa do “Brain Salad Surgery” do Emerson Lake & Palmer. Aquele misto de beleza e mistério que me dava um frio da espinha. Só quando eu finalmente consegui comprá-lo é que fiquei sabendo que sua capa havia sido desenhada por um tal de H. R. Giger. Mais nenhuma informação podia ser conseguida naqueles tempos sem internet.

Cena de “Alien, O Oitavo Passageiro”, 1979.

Algum tempo depois foi lançado nos cinemas o filme “Alien – O Oitavo Passageiro” de Ridley Scott. Ao ler sobre o filme, em alguma revista, descobri que o mesmo Giger da capa do ELP era o responsável pelos cenários e pelo desenho da criatura.

Hans Rudolf Giger (1940 – 2014) foi um artista plástico suíço que se notabilizou por um estilo e uma temática bastante peculiares, que ele batizou de surrealismo biomecânico, onde são misturados elementos orgânicos e mecânicos em situações de forte caráter de erotismo e horror.

Giger no Giger Bar de Chur, Suíça.

Giger se envolveu nos mais diversos campos de expressão visual: pintura, escultura, cinema, HQ, mobiliário, etc. Ele criou ambientes biomecânicos em bares na Suiça, chamados Giger Bar, e desenhou uma série de guitarras para a fabricante de instrumentos musicais Ibanez. Além dos bares, existe na Suiça um museu dedicado às obras de Giger localizado na cidade de Gruyères.

Com sua particular visão do fantástico, ele concebeu capas para álbuns de alguns artistas e bandas de rock, cujo mais notável exemplo é a citada capa do “Brain Salad Surgery”.

Lake, Palmer e Emerson checando o trabalho de H.R. Giger

GALERIA DE CAPAS DE ÁLBUNS


Walpurgis – “Shiver” – 1969 – Primeira capa de Giger.

Emerson Lake and Palmer – “Brain Salad Surgery”, 1973.

Island – “Pictures”, 1977.

Magma – “Attahk”, 1978.

Oser, Weber, Bürder – “Johanni Will Drei Tote Haben”, 1980.

Debbie Harry – “KooKoo”, 1981.

Pankow – “Freiheit Fuer die Sklaven”, 1987.

Steve Stevens – “Atomic Playboys”, 1989.

Atrocity – “Hallucinations”, 1990.

Danzig III – “How the Gods Kill”, 1992.

Carcass – Heartwork, 1993.

Minha edição holandesa com capa articulada do “Brain Salad Surgery”.

OUTROS TRABALHOS


Giger Bar em Gruyères, Suiça.

Giger Bar em Chur, Suiça.

Guitarras Ibanez H. R. Giger Signature.

Alien, 1979.

4 comentários sobre “O Surrealismo Biomecânico das Capas de H. R. Giger

Deixe uma resposta para ze60José Maurício Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s