Disco Nota 11: “Rubycon” – Tangerine Dream

Paulo Fernandes

Rubycon_00

OS VÁRIOS SABORES DO TANGERINE DREAM

 O tecladista alemão Edgar Froese – falecido em 2015 – montou o Tangerine Dream em 1967. Em seus primórdios a banda seguia uma linha musical inspirada pelo Pink Floyd de Syd Barrett. A partir de 1973, Froese e cia. se alinharam ao movimento musical alemão Krautrock. A base dessa corrente musical era o afastamento do modelo de rock anglo-americano em favor de um caminho próprio, mais radical e experimental como parte de uma nova cultura germânica. Essa proposta incluiu um uso ainda mais intensivo de sintetizadores e sequenciadores.

Rubycon_01

É justamente esta segunda fase do Tangerine Dream – de 1974 a 1982 – que rendeu seus melhores e mais saborosos frutos: os álbuns “Phaedra” de 1974, “Rubycon” de 1975, “Stratosfer” de 1976 e “Cyclone” de 1978.

A partir de 1983, a banda adotou uma linha musical com apelo mais comercial. Os anos 80 marcaram também – algo que já havia começado antes – a intensificação da produção de competentes trilhas sonoras para filmes, entre eles “Comboio do Medo” de William Friedkin; “Negócio Arriscado” de Paul Brickman; “Chamas da Vingança” de Mark L. Lester; “Quando Chega a Escuridão” de Kathryn Bigelow; “Gente Diferente” de Andrei Konchatovsky e “A Lenda” de Ridley Scott.

Rubycon_02

.

ATRAVESSANDO O RUBICÃO

“Phaedra” é considerado como a obra-prima do grupo com suas longas suítes climáticas e cheias de experimentalismos, mas o meu preferido é “Rubycon”. Com apenas duas faixas instrumentais – uma de cada lado do vinil – o álbum segue a trilha de seu antecessor, porém penso que as soluções musicais são mais “redondinhas” em “Rubycon” e seu apelo melódico me agrada mais aos ouvidos.

Rubycon_03

O Tangerine Dream era um trio à época de gravação de “Rubycon”, estes são os equipamentos usados por cada um dos membros no álbum:

  • Edgar Froese: mellotron, guitarra, sintetizador VCS3, orgão e gongo;
  • Christopher Franke: orgão, sintetizador Moog, sintetizador Synthi A, piano “preparado” e gongo;
  • Peter Baumann: orgão, sintetizador Synthi A, sintetizador ARP 2600, piano elétrico, piano “preparado”
Rubycon_04

César atravessa o Rubicão com suas legiões e desafia as ordens de Roma com sua famosa frase “Alea jacta est” (a sorte está lançada).

“Rubycon” é uma viagem musical sedutora e, por vezes desconcertante. Assim como Júlio César atravessou o rio Rubicão para assumir o poder total em Roma, o Tangerine Dream atravessou as fronteiras da música eletrônica e fez um álbum encantador. Além disso, sua a capa é uma maravilha de arte minimalista!

.

FAIXAS 

Todas as músicas compostas por Froese, Franke e Baumann. 

Lado 1 

1) Rubycon, Part One 

Lado 2 

1) Rubycon, Part Two

.

MÚSICAS 

Ouça o álbum completo:

Anúncios

3 comentários sobre “Disco Nota 11: “Rubycon” – Tangerine Dream

  1. mauro.pastinha@hotmail.com
    E.MAILS=2016-062.1 — 06/domingo = 03:46
    DISCO NOTA 11 = “R U B Y C O N”
    – Tangerine Dream – Via ROCKONTRO
    Obrigado, queridos companheiros. Ganhei mais um belo presente pois
    não conhecia com mais detalhes o trabalho dos TANGERINE DREAM.
    Para vocês, um grande abraço deste Velho/74 Roqueiro – NAMASTÊ!
    PAZ & BEM, E ATÉ AMANHÃ, SE DEUS NOS PERMITIR

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s